Please wait.
  • Bundesliga: Na Alemanha, nem todos estão satisfeitos com o regresso do futebol

    Desporto


    O regresso da Bundesliga no último fim de semana foi criticado por atletas de outras modalidades, como o campeão mundial de remo Oliver Zeidler, que classificou de "piada" a retoma do futebol em plena pandemia de COVID-19.

    "É uma piada". Se as crianças não podem voltar à creche e os restaurantes não podem trabalhar em plena capacidade, permitir que alguns milionários o façam no relvado é enviar um sinal errado", argumentou o atleta, em declarações à à SID, filial alemã da AFP.

    O atleta de 23 anos, campeão do mundo em 2019, afirmou que gostaria de ver os adeptos a voltar às costas a este "sistema doente" e a este "mundo paralelo que está cada vez mais à deriva".

    No último sábado, a Bundesliga tornou-se no primeiro grande campeonato europeu de futebol a regressar, depois de mais de dois meses parado devido à pandemia de COVID-19.

    O regresso do futebol foi possível após o governo da chanceler Angela Merkel ter aliviado as medidas de confinamento e restrições impostas para conter a pandemia.

    Os jogadores de futebol estão a ser submetidos a testes de detecção da COVID-19 com frequência, os jogos são disputados sem a presença de público e os atletas no banco têm de usar máscaras, entre outras medidas de higiene.

    A Alemanha registou 175.210 casos de coronavírus, com 8.007 mortes.

    Apesar da situação trágica, os clubes da Bundesliga pressionaram para que a temporada fosse concluída antes de 30 de junho para que não perdessem 300 milhões de euros em direitos de televisão.

    Numa altura em que outras modalidades desportivas enfrentam um futuro incerto por não saberem quando poderão voltar a competir, o regresso do futebol gerou muita polémica.

    Zeidler admitiu que pode treinar "com relativa normalidade", já que a Alemanha começou a aliviar as restrições, mas garantiu que a situação atual confirma que o futebol recebe um tratamento privilegiado na Alemanha.

    Uma opinião compartilhada pelo campeão olímpico do lançamento de dardo Thomas Röhler: "Parece que para os políticos é mais importante permitir que a bola volte a rolar do que outros desportos receba o mesmo tratamento".

    Contudo, a velocista Gina Lueckenkemper reconheceu que o regresso da Bundesliga dá aos alemães uma sensação de se estar a voltar à normalidade, algo que outros desportos não poderiam oferecer.

    "Os antigos romanos sabiam como deixar o seu povo feliz: pão e jogos", declarou à SID Lueckenkemper, vice-campeã europeia em 2018 dos 100 metros barreiras.

    Para a atleta de 23 anos, apesar de tudo, as críticas sobre o regresso do futebol são "justificadas e sensatas".

    O campeão de esgrima Max Hartung garantiu que a retoma do futebol é uma esperança para os outros desportos: "Quando vemos que voltaram a jogar futebol, dá-te vontade de voltar à vida ativa. Evidentemente que agora o futebol é o único desporto em direto na televisão, [embora] como esgrimista, sempre me preocupou o fato de só existir o futebol para a imprensa", declarou o atleta de 30 anos, membro da equipa alemã campeão mundial em 2014

    Um sentimento compartilhado por Zeidler. "Neste momento, o futebol é o único que existe. É uma questão de dinheiro, e não de quem será o campeão alemão. Ninguém se importa com isso durante a pandemia do novo coronavírus", concluiu.

    Source: SAPO Desporto

    Read all new »

    »back Read all new »